Páginas

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Saber trabalhar em grupo. Diferencial no mercado de trabalho


A pessoa que desenvolve bem atividades coletivas é valorizada pelas empresas e escolas. Na escola, um trabalho em grupo pode ter muitos significados. Para alguns, é mais uma chance de ganhar uma nota com o esforço dos colegas - o que é frustrante para quem se vê obrigado a realizar a tarefa dos demais. Também existem aqueles que aproveitam o tempo para conversar com os amigos e, muitas vezes, se esquecem do objetivo proposto pelo professor. Por outro lado, muitos verão o trabalho como uma oportunidade de aprender e compartilhar, e isso pode ser determinante para o futuro do aluno no mercado de trabalho.
As habilidades para realizar tarefas coletivamente podem ser desenvolvidas já na infância. Darli Collares, professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), explica que não existe uma idade exata, mas por volta dos 7 ou 8 anos, fica mais visível aos adultos a possibilidade de as crianças trabalharem numa perspectiva de reciprocidade de pensamento. O processo, contudo, não é simples. “É difícil para a criança acolher uma opinião diferente da sua e ter que, por vezes, abrir mão de seu ponto de vista. O papel do professor é fundamental, pois, como autoridade, caberá a ele garantir que este processo se dê de forma segura e solidária para todos”, diz Darli. Mesmo depois da infância, o entendimento sobre o  trabalho coletivo ainda precisa ser trabalhado. “A noção de trabalho em grupo não é entendida nem por crianças, nem por adultos. Eles se unem para trabalhar individualmente”, acredita Leandro Balejos, que leciona história e geografia para alunos de sexta série do ensino fundamental e de educação de jovens e adultos (EJA). Para Balejos, a escola deve ensinar a cooperação, e é tarefa do professor motivar os estudantes para que todos trabalhem juntos.
Na mesma linha, Darli defende que os trabalhos em grupo desenvolvem habilidades que não podem ser trabalhadas de forma individual. “Um trabalho de grupo envolve um processo de criação, combinações, trocas, decisões, tempo de desorganização (cair num vazio de ideias) e de organização (fundamental para o êxito do trabalho). Em função disso, ser capaz de ouvir o outro, colocar-se no lugar do colega, acolher ideias diferentes da sua para definir a melhor para o momento, impõe a reciprocidade de pensamento”, explica. Ela cita o psicólogo suíço Jean Piaget, destacando que a função da escola deve ser a de promover um método de cooperação entre os alunos, mais do que abordar conteúdos.

Respeito e negociação 
Muitas vezes, os professores permitem que os alunos escolham seus parceiros por afinidade, outras, determinam as equipes por sorteios ou até por escolha de perfis. Em ambas as situações, há vantagens e desvantagens. Quando escolhem com quem trabalhar, os estudantes podem contar com a facilidade de estar entre amigos, e o entrosamento é mais fácil. Por outro lado, quando o professor determina a formação de uma equipe, o grupo fica mais heterogêneo, obrigando que todos cheguem a consensos e desenvolvam meios de negociação e respeito às opiniões diferentes. Nas turmas em que Balejos dá aula, sempre fica uma cadeira vazia ao lado de cada grupo, para que o professor possa acompanhar os trabalhos, muitas vezes intermediando negociações. A separação ou a troca dos grupos deve ser a última alternativa, e os conflitos precisam ser esclarecidos e resolvidos - afinal, também existirão no mercado de trabalho e precisarão ser contornados.

Cada vez mais, o mercado exige as habilidades adquiridas em trabalhos em grupo. Consultor de recursos humanos, Rafael Pereira destaca que as empresas geralmente buscam profissionais que saibam atuar em equipes, mesmo em setores onde, teoricamente, o trabalho é individual. Segundo ele, o adulto pode desenvolver a capacidade para trabalhar coletivamente, mas o empregador tende a preferir o profissional que já apresenta essa característica. Além disso, é comum que as companhias queiram profissionais que entendam o conceito de complementaridade - ou seja, já que é impossível que uma pessoa seja boa em tudo, é essencial que saiba aliar seus conhecimentos com os dos outros em prol do bem comum.

10 dicas para trabalhar bem em grupo*
Atire a primeira pedra quem nunca brigou com um colega de trabalho, perdeu o cliente por falhas na comunicação da equipe ou mesmo sentiu falta de comprometimento entre os profissionais da mesma área ou setor.
No livro "Os 5 desafios das equipes", o autor Patrick Lencioni traz uma fábula sobre liderança que mostra quais os ingredientes necessários para as equipes trabalharem de forma efetiva. Segundo ele, "O trabalho em equipe nada mais é do que o ato de praticar um pequeno conjunto de princípios durante um longo período de tempo. O sucesso não é uma questão de dominar teorias sutis e sofisticadas, mas de abraçar o senso comum com níveis incomuns de disciplina e persistência. Ironicamente, as equipes têm sucesso porque são excessivamente humanas. Ao reconhecerem as imperfeições inerentes à sua condição humana, os integrantes das equipes funcionais superam as tendências naturais que fazem com que confiança, conflito, comprometimento, responsabilidade e foco nos resultados se transformem em coisas tão ambíguas".
Mas como lidar com as adversidades do dia-a-dia e formar uma equipe confiante, comprometida com os resultados e unida em prol dos mesmos objetivos? O site português SuperEmprego, do portal SAPO, listou algumas dicas práticas para trabalhar bem em grupo, que reproduzimos abaixo. Confira!
Seja paciente - Nem sempre é fácil conciliar opiniões diversas, afinal "cada cabeça, uma sentença". Por isso é importante que você seja paciente e pense antes de falar. Procure expor os seus pontos de vista com moderação e ouça o que os outros têm a dizer. Respeite sempre os colegas, mesmo que não esteja de acordo com as opiniões deles.
Aceite as idéias dos outros - Muitas vezes é difícil aceitar idéias novas ou admitir que não temos razão; mas é importante saber reconhecer que a idéia de um colega pode ser melhor do que a nossa. Afinal de contas, mais importante do que o nosso orgulho é o objetivo comum que o grupo pretende alcançar.
Não critique os colegas - Podem surgir conflitos entre os colegas de grupo, mas é muito importante não deixar que isso interfira no trabalho. Avalie as idéias da pessoa, independentemente daquilo que achar dela. Critique as idéias, nunca a pessoa.
Saiba dividir - Ao trabalhar em grupo, é importante dividir tarefas. Não parta do princípio de que é o único que pode e sabe realizar uma determinada tarefa. Se isso fosse verdade, o trabalho não seria "em grupo", seria individual, concorda? Partilhar responsabilidades e informação é fundamental para o sucesso da equipe.
Trabalhe - Não é por trabalhar em grupo que você deve relaxar nas suas obrigações. Dividir tarefas é uma coisa, deixar de trabalhar é outra completamente diferente. Colabore com a sua parte e verá o resultado no final.
Seja participativo e solidário - Procure dar o melhor de si e ajude os seus colegas sempre que necessário. Da mesma forma, você não deverá se sentir constrangido quando também precisar de auxílio.
Dialogue - Quando você se sentir desconfortável com alguma situação ou função que lhe tenha sido atribuída, é importante que explique o problema, para que seja possível alcançar uma solução que agrade a todos e não sobrecarregue ninguém.
Planeje - Quando várias pessoas trabalham em conjunto, é natural que alguns se dispersem; por isso o planejamento e a organização são ferramentas importantes para que o trabalho de grupo seja eficiente e eficaz. É importante fazer o balanço entre as metas a que o grupo se propôs e o que conseguiu alcançar no tempo previsto.
Aceite a ideia do erro - Quando todas as barreiras já foram ultrapassadas e o grupo é muito coeso e homogêneo, existe a possibilidade de se tornar resistente a mudanças e a opiniões discordantes. É importante que a equipe ouça opiniões externas e que aceite a idéia de que pode errar.
Aproveite -, afinal o trabalho em grupo acaba sendo uma boa oportunidade de conviver mais de perto com os seus colegas, conhecê-los melhor e também de aprender com eles. Boa sorte!
  

Referências:
Imagens: google imagens

http://noticias.terra.com.br/educacao/entenda-por-que-e-tao-importante-saber-trabalhar-em-grupo,859164805d5ba410VgnVCM3000009af154d0RCRD.html