Páginas

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Empresas atualmente tem buscado profissionais com habilidades comportamentais

Mau comportamento dos funcionários é segundo maior motivo de demissão - 
Pesquisas realizadas recentemente, como por exemplo,
a realizada pela Catho,
com mais de 50 mil profissionais, mostra que o mau 
comportamento dos funcionários é o segundo
 maior motivo de demissão nas empresas. 
Os principais problemas são de relacionamento 
com o chefe e com os colegas, faltas e atrasos. 
Em primeiro lugar, está o mau desempenho.
Um exemplo desta situação é de um radialista, que não quer se identificar. Ele foi demitido da empresa onde trabalhava por causa do mau comportamento. Ele conta que a postura dele não agradava os chefes e um atraso foi a gota d'água para a demissão. "Eu estava em clima de carnaval, estava chegando com todo o pique de diversão. Eu acredito que fui um pouco debochado e agravou a situação. Não faria isso de novo em hipótese alguma, não tem nem como fazer novamente", relata.
O empresário Adélio Barofaldi também passou por isso, mas na condição de chefe. Ele é dono de um grupo de empresas de automóveis em Rondônia e tem 900 funcionários. Recentemente, Adélio demitiu gente competente, mas que não se comportava direito. “Eu tenho uma estimativa de mais ou menos 10 ou 12 pessoas que foram desligadas por causa desse mau posicionamento. A gente tem feito alguns desligamentos, às vezes contra a própria vontade do nosso RH, em função do conhecimento que ele tem do negócio, do mercado, mas infelizmente esse relacionamento contamina a empresa e o mercado, então o funcionário tem que ser desligado”, explica.
Em uma empresa que presta assistência médica a domicilio, as dificuldades de relacionamento entre os funcionários e também com os clientes são o principal motivo de demissão. “Em uma empresa de serviço e, no nosso caso nós salvamos vidas, a dependência do comportamento, a exigência de que esse profissional tenha um comportamento adequado, é muito grande. Muitas empresas investem para aprimorar o comportamento dos funcionários no ambiente profissional e isso pode ser feito com treinamentos e atividades que, às vezes, parecem brincadeiras, mas que trazem lições importantes de respeito aos colegas e de trabalho em equipe", afirma a gerente de RH, Eleonora Santos.
Confira abaixo os principais erros de comportamento dos profissionais dentro das empresas:
Descompromissado: não cumpre prazos e não é um bom exemplo para os colegas.

Pessimista: acha que nenhum projeto vai dar certo.

Individualista: não sabe trabalhar em equipe nem ouvir a opinião dos outros.

Vaidoso: quer ser reconhecido o tempo todo.

Desagregador: cria intrigas e faz fofoca.

Inseguro: tem dificuldade de se posicionar.
Trabalhar a Inteligência Emocional pode ser um grande suporte à mudança de comportamento, e saber conviver com os pares no dia-adia do trabalho.  A Inteligência Emocionalnos remete a refletir e avaliar alguns conceitos e teorias enraizados em nossa cultura. Costumeiramente nos deparamos com um paradigma que diz que o conhecimento técnico e acadêmico é o grande diferencial dos profissionais no mercado de trabalho. Aprendemos e fomos estimulados por nossos pais durante a formação escolar a nos tornar profissionais competentes e especialistas técnicos, para que tivéssemos chances de nos destacar e, assim, conquistar a tão sonhada oportunidade de emprego.
Porém, com a ampliação do acesso à educação continuada através de universidades e faculdades em todo o território nacional, percebe-se que o profissional que possui uma graduação já não é mais um diferencial, mas sim um pré-requisito básico para ocupar qualquer posição de trabalho.
Além das competências técnicas, as empresas atualmente têm buscado profissionais com habilidades comportamentais, pois aqueles que não souberem se relacionar, serem assertivos na comunicação, possuírem autocontrole sobre seus impulsos e gerenciar suas emoções, poderão comprometer o ambiente organizacional e consequentemente prejudicar os resultados dos trabalhos.
Pesquisas e levantamentos apontam um grande déficit de habilidades comportamentais nos perfis dos profissionais atualmente. É comum ouvirmos no mundo corporativo que profissionais são geralmente contratados por seus conhecimentos técnicos, mas demitidos por problemas comportamentais.
Nesse contexto a inteligência emocional auxilia as organizações e indivíduos a administrarem suas emoções a fim de alcançarem objetivos. Através do desenvolvimento dessa inteligência as pessoas se tornam mais prudentes, intuitivas e mais equilibradas para tomada de decisões mais assertivas.
Agir com inteligência emocional traz uma série de benefícios, tais como: ampliação da rede de relacionamentos – “networking”, maior capacidade de resiliência, cumplicidade e companheirismo dos parceiros de trabalho, facilidade de aprendizado, maiores oportunidades de crescimento e ocupação de cargos de liderança, entre outras.
Entende-se dessa maneira que desenvolver a inteligência emocional é de extrema importância para o desenvolvimento humano, pois diferente da inteligência lógica ou racional, ela realiza um processo de descobrimento interior que se materializa através de atitudes e comportamentos sociais.
Segundo a gerente de Recursos Humanos da Trevisan Outsourcing, Priscila Soares: “Quando o profissional se encontra balanceado, consegue ver as “coisas de cima” e se torna visionário porque sabe negociar, desenvolve aguçada intuição e escuta mais seus líderes e pares”. De acordo com a mesma, caso esta competência não seja bem trabalhada, o profissional acaba não aplicando a melhor solução, pois as emoções têm o poder de influenciar raciocínios.
Sendo assim, o conhecimento técnico deve estar estritamente alinhado com a inteligência emocional, para que as organizações disponham de um ambiente propício ao desenvolvimento pessoal e profissional.
Fonte:
Marcos Lima - http://www.menthes.com.br/mas-afinal-para-que-serve-a-inteligencia-emocional/

http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2013/09/mau-comportamento-dos-funcionarios-e-segundo-maior-motivo-de-demissao.html Edição do dia 30/09/2013)


imagem: http://www.igorborges.com.br/voce-esta-demitido/