Páginas

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Ética nas Redes Sociais

  (By Carmen Fonseca)

Postei neste blog recentemente (dia 26 de janeiro) o texto que se refere à vigilância virtual com o título “Cuidado com as postagens nas redes sociais”, hoje volto ao assunto por causa de uma reportagem do dia 08 de fevereiro último, no Caderno de Informática, do Diário de Pernambuco com o título “Meu chefe me adicionou, e agora?”

Nos vários artigos que leio sobre o tema ainda não encontrei nenhum exemplo de alguém promovido porque o perfil na rede tal agradou (se alguém já viu me diga, por favor!). Mas as demissões e rejeições nas seleções de emprego já chamam a atenção. A sociedade virtual cresce e, segundo estatísticas de utilização da rede, até agosto/2012 o facebook, por exemplo, deverá chegar a um bilhão de usuários. Cada vez mais as empresas também estão aderindo a essas ferramentas de relacionamento.

Como se trata de um ambiente social, ou melhor, sócio virtual deve envolver valores e regras de relacionamento com a devida ética e respeito. Quando falamos em ética podemos utilizar o conceito do conjunto de valores que orientam o comportamento do homem em relação aos outros homens na sociedade em que vive, garantindo, outrossim, o bem-estar social[1], ou seja, Ética é a maneira que a pessoa deve se comportar no seu meio social e, agora, sócio virtual. Do ponto de vista da Filosofia, a Ética é uma ciência que estuda os valores e princípios morais de uma sociedade e seus grupos. Aquele que não segue a ética da sociedade a qual pertence é chamado de antiético, assim como o ato praticado. Igualmente é o comportamento na rede, porque envolve pessoas, cultura, sentimentos, grupos e informações. De um lado o profissional, que desatento à vigilância virtual, posta um monte de tolices sobre a empresa, chefe, colegas, equipe etc e disponibiliza para o mundo. Do outro as próprias empresas que se munem de informações pessoais consultando um ambiente que, digamos, não é oficial (ainda!) para eliminar candidatos nas seleções. Esse procedimento, que não é transparente por parte das organizações, está sendo alardeado em reportagens que são divulgadas frequentemente na mídia. E por mais que se escreva, divulgue etc, ainda tem muitos jovens que não se tocaram para essa vigilância.

É sempre bom reforçar a importância de se cumprir determinadas regras ao postar mensagens.

Para não "queimar o filme", avalie a cultura do seu local de trabalho e o relacionamento que tem com o chefe e os colegas[2].

Semelhante aos códigos de conduta existentes nas empresas o comportamento das pessoas nas redes sócio virtuais deve seguir orientações éticas e, também, um código de conduta que deve ser respeitado, mas existe acima de tudo o bom senso. Afinal, não é o Facebook que ficou chato, as pessoas que não estão muito legais[3].

Segue uma lista geral, com algumas sugestões pessoais e outras de pesquisas, para as quais se deve ter atenção nas redes sociais:

1.                 Uma simples frase pode ser entendida de forma errada por alguns colegas. Atenção para não transformar um pensamento de algum escritor famoso em uma “ofensa”. Acredite, isso acontece!
2.                 Cuidado ao postar sua localização (restaurante, shopping, rua, avenida, bairro). Isso não é muito seguro nos dias de hoje.
3.                 Atenção aos convites para jogos. Olhem essa notícia publicada em 12/10/11: Justiça (de Vila Velha/ES) proíbe o envio de convites no Facebook para o jogo CityVille. O juiz entendeu que os convites são incômodos e que ele próprio chegou a receber mais de 500 em um único dia.[4] Nem precisa comentar, não é? Mas, caso não queira receber tais convites, as configurações da sua página resolvem.
4.                 Facebook ou Twitter não é diário. Evite escrever que você acabou de acordar, que vai almoçar, que está com sono ou qualquer coisa do tipo. A não ser que esses fatos sejam realmente diferentes, relevantes e estejam no contexto das postagens.
5.                 Nunca compartilhe fotos e marque os seus amigos nela. Já parou pra pensar que seu amigo(a) pode não querer mostrar essa foto para o mundo? Principalmente se ele(a) não estiver muito bem nela.
6.                 Derramar sofrimento, postar fotos todo(a) remendado(a) em hospital, no médico etc ou comentar enfermidades pelo Facebook, não é legal. Não se iluda! As pessoas, no máximo, irão “curtir” sua postagem e, talvez, ficar com peninha. É esse seu objetivo?!?!? Para transmitir essas informações dolorosas tem o chat que você conversa só com quem pode se interessar pelo caso.
7.                 Terminar o namoro ou amizades, fazer críticas (indiretas), “lavar roupa suja” ou manchar a imagem do(a) outro(a) (mesmo que você ache que mereça!), é pior. Pode virar para o seu lado. Então controle seus impulsos virtuais, ligue ou marque um encontro presencial para colocar tudo em pratos limpos. Certas situações não substituem o olho no olho. 
8.                 Fotos com a família são bem-vindas, mas lembre: bom senso! As regras das fotos também servem para aquele churrasco na piscina com os tios ou o jantar na casa do avô em que você toma todas. Já sabe...
9.                 Revelar seus planos, sonhos ou qualquer coisa que seja muito pessoal pode ser ruim. Não esqueça que “a inveja tem Facebook”. Melhor evitar constrangimentos. Não exponha sua vida. Você um dia vai se arrepender disso pode acreditar.
10.             Não converse através dos conteúdos publicados no seu mural. Já foram criados o botão de mensagens e o chat para isso! Evite o pingue-pongue. Existem internautas que resolvem fazer de uma publicação um verdadeiro MSN. Aproveite a rede para comentar, discutir, criticar e ser relevante. Se não tiver o que falar, não fale… apenas "curta". É melhor.
11.             Use as ferramentas da rede para escolher quais pessoas poderão ter acesso às suas publicações;
12.             Insista. Não é falta de educação informar que a rede pessoal é restrita aos familiares e amigos, quando for o caso;
13.             Aproveite o perfil profissional para fazer marketing das suas potencialidades;
14.             Evite publicar algo negativo sobre sua atual ou ex-empresa. A maioria tem programas de monitoramento.

  Lembrando que as redes sociais nada mais são do que uma extensão do convívio social, ter atenção é sempre bom. Mas não precisa mudar sua forma de ser, portanto seja você mesmo. Sempre! Não há necessidade de representar, mas não esqueça que educação, ética, sensibilidade, atenção e “chá de Semancol” são bem-vindos em toda situação e, como em qualquer ambiente social, mantenha uma boa postura!




[1] MOTTA, Nair de Souza. Ética e vida profissional. RJ: Âmbito Cultural Edições, 1984
[2] Meu chefe me adicionou, e agora? Diário de Pernambuco (8/02/2012 – Caderno Informática)
[3] baseado em O FACEBOOK NÃO FICOU CHATO, SEUS AMIGOS É QUE NÃO ESTÃO MUITO LEGAIS (Publicado em http://www.passionforideas.com.br)
[4] Disponível em  http://www.g17.com.br/noticia.php?id=425>. Acesso em dezembro/2011.


11 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ademir Gomes Ferraz27 de janeiro de 2013 18:23

      Não sei o motivo da remoção. De toda forma o administrador desculpe-me se houve alguma inconveniência.

      Excluir
    2. querido, foi porque estava duplicado. Não vi que mostrava isso. Devem ter vários por ai nos blogs que comento, excluo e mando outro (rs). Foi esse o motivo. Continue comentando. Pessoas inteligentes ajudam muito. Bjo.

      Excluir
  2. Carmem. Parabens. São posts desta qualidade que deveriam permear os blogs e não "ai se te pego"

    ResponderExcluir
  3. Pois é, nossa missão como professor é orientar. Estou tentando! Valeu!

    ResponderExcluir
  4. Vou compartilhar em minha página amiga.Bjsss

    ResponderExcluir
  5. Olá, Carmem! Seu blog é muito esclarecedor e orientador ... um serviço público de grande valia. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  6. Prezada Carmen, tudo bom?
    De grande importância seu artigo de opinião, pois orientará muita gente. O fato da sociabilidade virtual oferecer uma suposta 'liberdade total' não significa que os valores mantidos pelas sociedades foram abolidos no uso das redes sóciovirtuais. Para quem bem sabe, costume de casa vai às redes.

    Parabéns!

    Abraços,
    Adriano Marcena

    ResponderExcluir
  7. Obrigada, amigos, pelos comentários. Realmente as pessoas precisam entender que a liberdade da rede não dá o direito a tudo. Educação é bem-vinda em todas as situações.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante. Obrigada!