Páginas

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

VESTIDA DE MIM - LUIZA FITTIPALDI



 Luíza é um dos novos talentos da música pernambucana. 
Dona de uma voz forte, mas, ao mesmo tempo, se mostra tão doce e suave em suas interpretações. Só vendo e ouvindo para conferir.

 O show contará com lançamentos de músicas autorais, sucessos da MPB dentro do ponto de vista da artista e músicas escolhidas que farão parte do repertório 2015.
O nome do show não poderia ser mais apropriado, já que a trajetória do último ano levou a apresentações de tributos e homenagens, deixando o foco pessoal para esse novo momento.
No show  Luiza Fittipaldi contará com o acompanhamento e participação mais do que especial da instrumentista Lígia Fernandes . 


Esperamos todos vocês para um show de emoção. 

CREPERIA ROUGE - Praça de Casa Forte, 570.
Informações e reservas: (81)9646.5006 - 9843.3845



quinta-feira, 30 de outubro de 2014

CHEFIAR OU LIDERAR? QUAL A SUA?!?!



Para quem assumiu um cargo de chefia e acha que a autoridade será suficiente para garantir a produção da equipe, engana-se! Porque virar chefe não significa se livrar das tarefas do cotidiano e só ficar observando "com os pés sobre mesa de trabalho” os outros se esforçando.

Na verdade o chefe acumula muitas funções. A não ser que tenha um altíssimo cargo dentro da empresa, caso contrário ainda terá algum papel operacional. Os chefes também têm os seus próprios chefes, e precisam elaborar planilhas, documentos e relatórios para eles.
Muitos aspirantes à cadeira do patrão também ignoram que estar em um cargo de liderança implica ter diversas obrigações e dificuldades que passam longe das preocupações do resto da equipe.  
De acordo com a entrevista de João Marcelo Furlan, sócio da Enora Leaders, à revista EXAME.com, existem alguns equívocos ligados ao assunto que merecem ser desconstruídos, tais como:
1. A equipe vai te obedecer só porque você é o chefe
Acha que ter autoridade é suficiente para garantir a produção? Ledo engano, diz Furlan. “Não adianta mandar as pessoas fazerem algo, elas precisam ter vontade de atender aos seus pedidos”, explica. E isso não é nada fácil. De acordo com ele, motivar outras pessoas é uma habilidade que exige treino, maturidade e uma boa dose de inteligência emocional.

2. É mais fácil ver a entrega ser feita do que fazê-la
“A vida do chefe não é nada mansa”, brinca Furlan. Ao contrário do que muitos pensam, gerar resultados a partir do trabalho de outras pessoas pode ser muito custoso. “Você precisa ter capacidade técnicas, para planejar e organizar as tarefas alheias, mas também habilidades mais comportamentais, para mobilizar e acompanhar as pessoas”, diz o especialista.

 3. O chefe tem independência para fazer o que quiser
Ser chefe não significa ter licença para tomar decisões arbitrárias. Ele ainda vai ser parte do sistema e, como tal, precisará se adaptar às suas regras e limitações. O chefe precisa se moldar a todo tipo de restrição. O orçamento, por exemplo, não está à sua plena disposição, e nem as suas ideias podem contrariar a estratégia global da empresa. Existem também muitas disputas internas e jogos de poder que diminuem a liberdade do chefe.

4. Sua relação com antigos colegas não vai mudar porque você virou chefe
De uma forma ou de outra, assumir uma posição gerencial afeta os relacionamentos que você construiu até então na empresa. “Você passa a ter acesso a informações confidenciais e, querendo ou não, é obrigado a jogar no time do patrão”, afirma o especialista. Segundo ele, precisar defender os interesses da empresa - mesmo que isso signifique demitir um amigo, por exemplo - causa frustração em muitos chefes novatos. “É difícil, mas você precisa estar preparado para se afastar um pouco”, diz.

5. Se você não conseguir atender à expectativa, tudo bem.
Ao dar uma promoção, a empresa oferece também um voto de confiança - mas ele não é para sempre. “É um caminho sem volta: você não pode retornar a uma posição operacional, caso não dê certo”, diz ele. Em outras palavras, as expectativas precisam ser correspondidas para que o chefe se mantenha no cargo. “Você precisa ter certeza de que está preparado para liderar antes de aceitar um convite como esse”, afirma.

6. A chefia é a linha de chegada da carreira
Outro mito comum é pensar que o chefe é o “sabe-tudo” que atingiu o nível máximo de desenvolvimento na empresa. “Na verdade, essa é justamente a hora em que você mais vai aprender’”, diz o especialista. Se é provável que o profissional tenha sido alçado à chefia porque era um bom "técnico", é fato que ele passará a ser avaliado em quesitos até então inéditos para ele. “É como se jogassem você em uma piscina: ou você aprende a nadar ou vai engolir água”, brinca Furlan. Ao ocupar um cargo de chefia, a pessoa deve estar ciente da responsabilidade que ele requer.

Diante dessas sugestões, resta ao profissional que está assumindo um cargo, antes de tudo, saber lidar com as pessoas e entender as diferenças de cada um. Para isso a figura dita “chefe”, como se ler no texto acima, vem se distanciando cada vez mais para dar lugar ao “líder”, não que um líder precise se afastar desses seis pontos, de jeito nenhum, mas aquele que quer, realmente, liderar uma equipe precisa de mais alguns requisitos e se “despir” da figura do chefe durão, que não escuta o funcionário, que manda, não tem tato com o cliente (interno e externo), dentre outras, mudar. Há diferenças entre um Chefe e um Líder dentro de uma organização, confira algumas delas:

Características de um líder
·                     Inspira a ação e motiva a equipe;
· Toda a equipe leva crédito pelos resultados alcançados;
·                     Pensa no desenvolvimento de seus liderados;
·                     Lidera pelo exemplo;
Adjetivos: admirado, criativo, ousado, comunicativo.

Características de um chefe
·                     Dá ordens e é durão;
·                     Centraliza o poder;
·                     Leva sozinho o crédito pelos resultados;
·                     Desmotiva a equipe;
·                     Afunda seus liderados;
·                     Lidera pela autoridade;
Adjetivos: temido, desmotivador, inseguro.

        As empresas atuais não precisam mais da figura de um chefe, aquele que manda, leva o crédito pelos bons resultados e coloca a culpa em seus subordinados no caso de fracassos. O ideal é que tenham líderes que comandam as equipes com a ajuda de cada membro dela. É uma relação de troca. Falaremos mais sobre isso em outras postagens.

 
        APROVEITEM A LEITURA!


Figuras : google imagens

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

O ADMINISTRADOR E AS MUDANÇAS DO SÉCULO XXI


Administrador é o profissional responsável por gerenciar uma organização e tem competência para atuar em diversas áreas, como gestão de pessoas, marketing, tecnologia da informação, consultoria, gestão de processos, qualidade, administração financeira, comércio internacional, professor de graduação, gestão estratégica etc etc etc. O campo de atuação é imenso.

No dia NOVE de setembro, é celebrado o Dia Nacional do Administrador. Nessa data foi assinada a Lei nº 4769, de 9 de setembro de 1965, que criou a profissão de Administrador. O dia do Administrador foi instituído pela Resolução CFA nº 65/68, de 09/12/68.


O ADMINISTRADOR E AS MUDANÇAS DO SÉCULO XXI

No século XXI, o profissional de sucesso não é mais aquele especializado em determinado assunto, atualmente é preciso ter uma visão holística para atender a um mercado exigente.
Com a globalização, avanço da tecnologia, chegada da era do conhecimento e tantas mudanças que vem ocorrendo, surge a necessidade de um novo perfil profissional, que esteja mais voltado para os processos, elaboração e transformação de informações.
O novo profissional deve também desenvolver algumas habilidades, tais como:
Habilidades Técnicas - são as habilidades ligadas à execução do trabalho, e ao domínio do conhecimento específico para executar seu trabalho operacional. 
Habilidades Humanas - são as habilidades necessárias para um bom relacionamento. Administradores com boas habilidades humanas se desenvolvem bem em equipes e atuam de maneira eficiente e eficaz como líderes. São imprescindíveis para o bom exercício da liderança organizacional.
Habilidades Conceituais - São as habilidades que possibilitam a visão da organização como um todo, influenciando diretamente no direcionamento e no gerenciamento da empresa.
Algumas características são consideradas fundamentais ao bom Administrador moderno, por exemplo, capacidade de identificar prioridades, de operacionalizar ideias; saber delegar funções; habilidade para identificar oportunidades; liderança; disposição para correr riscos, domínio de métodos e técnicas de trabalho.
Deve-se entender que atualmente, o administrador, além de ter uma boa formação profissional, necessita possuir o lado comportamental equilibrado e compreender que o maior patrimônio da empresa é o colaborador. O administrador deve acreditar, investir nas pessoas e entender que o conhecimento, a tecnologia e a informação estão disponíveis a todos.
O administrador do século XXI deve ser um profissional global que passeia entre as ciências humanas e as ciências exatas com igual maestria. Deve ser um integrador por excelência, acima de qualquer outra coisa. Deve saber lidar com grande quantidade de dados e mensurações que a internet permite. O gestor atual deve ser um eterno estudioso. Precisa ter em mente que a governança não é um diferencial ou uma opção. É uma exigência da tecnologia que deixa tudo forçosamente às claras. É o fim das negociatas ou falta de honestidade com o mercado, prevalecendo a ética e a transparência. 

Em um mundo em mudanças, alguns ainda cristalizam velhos conceitos e naufragam diante da inovação, outros se arriscam em um mundo desconhecido, mas cheios de oportunidades. Cabe a você decidir em que time irá jogar.

Fonte:
Administradores.com
Imagens: Google imagens
_______________________________________________________________________________

ADMINISTRADORES, PARABÉNS PELO NOSSO DIA!



quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Cesta Cultural de SETEMBRO, no Teatro Eva Herz

Dia 5 de Setembro, sexta feira, a partir das 19:30h,
Zé Renato estará apresentando mais uma edição da "Cesta Cultural" no Teatro Eva Herz, da Livraria Cultura no Shopping Rio Mar.

 Dessa vez estarão Luciano Magno,  Racine e Ravel.  
Os artistas pernambucanos irão nos proporcionar
um espetáculo excelente, onde ouviremos lindas canções na doce voz do Ravel acompanhado do violão mágico do "Dr" Racine.

Ficaremos encantados com a um dos melhores músicos do mundo com sua guitarra, o Luciano Magno.

Além de curtir uma boa música, o público poderá fazer perguntas aos artistas sobre as músicas, autorais e releituras apresentadas. 

 NÃO PERCAM!!!!!!

Os ingressos poderão ser adquiridos antecipadamente pelo www.ingresso.com
Informações: 92265706





sexta-feira, 1 de agosto de 2014

CESTA CULTURAL -Teatro Eva Herz - LIVRARIA CULTURA-RIO MAR

 Dia 8 de Agosto, sexta feira, a partir das 19:30h, Zé Renato estará estreando o projeto musical "Cesta Cultural", no Teatro Eva Herz da Livraria Cultura no Shopping Rio Mar.
Será um projeto inovador, onde o público presente irá formular perguntas ao anfitrião Zé Renato, bem como aos artistas convidados.
Na estreia, além do Zé Renato, estarão presentes dois convidados da cena musical pernambucana: Romero Ferro e Luiza Fittipaldi.

Gostaríamos muito de contar com a presença de vocês nesse evento de estreia.







terça-feira, 29 de julho de 2014

COMPETITIVIDADE PROFISSIONAL - SER COMPETITIVO OU SER COMPETIDOR?

A empresa que busca a competitividade empresarial obtém uma satisfação às necessidades do cliente e consegue uma rentabilidade maior no mercado. A competitividade é passada para os profissionais e vem sendo encarada como um ponto positivo. A visão de que ela causa rivalidades e brigas já está sendo eliminada.
Ser competitivo estimula os profissionais no ambiente de trabalho a se esforçarem em busca de bons resultados e pode ajudar a empresa a alcançar o sucesso com mais rapidez.
Quando se trata de ambiente corporativo, existe uma diferença entre competitividade e competição: A competitividade é saudável, é a autossuperação, é buscar sempre o seu melhor. A competição é querer superar o outro, ser melhor e vencer. Isso acontece nem sempre da maneira mais ética e justa. Ganhar posição ou admiração se utilizando de práticas desonestas não significa ser competitivo, mas desleal e desonesto.
      Ser competitivo faz bem ao profissional. A disputa é fundamental para o desenvolvimento da carreira e para o sucesso da empresa em que trabalham.
      Para manter um bom clima de competição as organizações devem ter regras claras, como meritocracia e plano de carreira, ou seja, transparência na forma como acontecerá uma promoção ou a conquista de um bônus. Práticas assim são fundamentais para que não haja conflitos entre funcionários.

Não se pode confundir ambiente competitivo com clima pesado, carregado. A postura das pessoas faz toda a diferença neste sentido, e um clima saudável de competição depende de funcionários com atitudes leves e respeitosas no dia a dia. A competição trabalha, por exemplo, a comunicação interpessoal, a solução rápida de problemas, o respeito a ideias contrárias e as negociações.
Mesmo sem regras explícitas, o universo corporativo é fundamentado em competição. Por mais “simpática” que seja a relação entre colegas de trabalho, para crescer profissionalmente e ser competitivo no mercado o trabalhador tem que vencer desafios, tanto na empresa onde atua, como no mercado de trabalho. Profissionais treinados a desenvolver as características da competitividade conseguem alcançar mais rapidamente os objetivos e aumentar os resultados.
 A seguir relacionam-se algumas atitudes que auxiliam um profissional ser competitivo:
- Tomar decisões: É importante que o colaborador aprenda a tomar decisões rápidas e certas. Saber buscar as informações que estão à sua volta é fundamental. Mas deve-se ter cuidado com a rapidez, porque para muitos especialistas, esses trabalhadores também costumam ser rápidos demais quando tomam decisões, o que nem sempre é positivo. As decisões, mesmo as mais urgentes, precisam ser repensadas, porque se forem tomadas sem cuidado pode vir a gerar, por exemplo, retrabalho e isso desgasta a equipe.
Os profissionais competitivos querem decidir logo, tirar o problema da frente e nem sempre observam detalhadamente todos os elementos envolvidos, dessa forma nem tudo deverá sair conforme o planejado. Como ele está muito preocupado em atingir metas e mostrar resultados, deixa de prestar atenção ao que está em sua volta, podendo perder informações importantes. A pessoa muito competitiva acaba não dando ouvido aos outros. Ele se torna um profissional muito autocentrado e insensível ao próximo. Chega a não observar qual a percepção dos outros em relação ao seu próprio desempenho. É preciso saber ouvir. Fator de grande importância para boa tomada de decisão.
- Ser Diferenciado: É necessário se diferenciar dos demais. Colocar em prática suas habilidades é uma forma de mostrar suas competências, agregar valor e buscar bons resultados, uma vez que isso fará com que você ganhe destaque como profissional.
- Ser Flexivel: As mudanças acontecem todos os dias e é importante que você consiga lidar com cada uma delas positivamente. Estar sempre pronto é uma forma de se destacar e aprender a lidar com situações adversas. 
- Inovar: ter novas ideias, criar novas soluções, se destacar no mercado e diferenciar-se dos seus concorrentes, ser inovador, criar um ambiente propício ao desenvolvimento da equipe, gerar valor e, com isso, alcançar resultados mais expressivos.
       A competitividade é uma forma dos colaboradores mostrarem seu trabalho, suas facetas e se superarem no dia a dia, mas é claro respeitando a ética profissional. Num ambiente competitivo, a diversidade de ideias é muito positiva, uma vez que os profissionais têm a oportunidade de propor inovações e criar soluções de acordo com as necessidades apresentadas. Buscar funcionários competitivos é fundamental para o crescimento de toda empresa. Neste sentido, a procura por eles aumenta a cada dia e, com certeza, aqueles que tiverem este perfil estarão um passo à frente de seus concorrentes.

Compartilhar conhecimento auxilia a crescer na carreira. Um dos maiores medos dos profissionais competitivos é perder sua posição. Em decorrência disso, acabam concentrando as informações e têm grande dificuldade de passar conhecimento para os demais membros da equipe. Para ser um gestor, porém, é preciso saber desenvolver pessoas e multiplicar conhecimento. Ao disseminar conhecimento a pessoa se desenvolve mais, tornando-se um gestor mais maduro.

Conclusão
Sabe-se que o aprimoramento constante torna o profissional competitivo, então acompanhar as tendências do mercado na área de atuação é um compromisso do profissional que deseja agregar conhecimento e manter-se competitivo. É também uma forma de diferenciar-se de outros colegas de uma maneira positiva e competente.
Para candidatos na busca por uma oportunidade no mercado, não é diferente. A necessidade de inovação hoje é constante. Um colaborador atualizado sabe lidar melhor com os desafios que surgem e com as novas tecnologias. Para as empresas, mostra que o candidato se preocupa com o desenvolvimento profissional. Além de buscar profissionais antenados com as novidades, as empresas precisam de colaboradores dotados de habilidades comportamentais atreladas ao cargo e à cultura corporativa. Bom domínio da comunicação, espírito de liderança e de equipe, capacidade de administrar o tempo, dentre outras.
Segundo o consultor Leonardo Fraiman “Autoconhecimento é fundamental. Conhecendo-se melhor, o profissional sabe quais são suas habilidades, suas dificuldades, seus limites, ou seja, em que ponto tem maior facilidade e em qual precisa investir mais.” Para Fraiman, a harmonia do profissional com a sua carreira e com o mundo depende ainda da busca pela informação. “O bom profissional precisa acompanhar jornais, revistas, sites com informações de qualidade, estar sintonizado com nomes de referência nas redes sociais. Além disso, ler bons livros, ver bons filmes, manter a bagagem cultural sempre aguçada."

E você, está fazendo o que para ser um profissional mais competitivo?
 

Referências:
Admnistradores.com
Foto: Google imagens

terça-feira, 22 de julho de 2014

Grandes Dicas Sobre Carreira Profissional*



            Quando li o texto abaixo, achei muito apropriado ao funcionário que quer se sair melhor na carreira ou no cargo que está ocupando. São dicas interessantes do consultor Paulo Sérgio Buhrer, que complementei em função da minha experiência como professora e profissional na área de gestão. São sugestões simples para quem quer ser bem sucedido na profissão. Isso não significa dizer que vá subir imediatamente de cargo e ganhar uma fortuna, mas estará galgando mais um degrau nesse sentido.

            Aproveite e Sucesso!!


1ª. FAÇA MAIS QUE O COMBINADO
             Ninguém ganha mais por fazer aquilo que combinou com seu chefe. Normalmente as pessoas nem isso fazem. Por isso, decretam o fracasso logo que começam numa profissão. Para ter uma carreira de sucesso, faça mais do que o combinado, não importa se a empresa é boa ou ruim, se o chefe é uma pessoa boa ou ruim. A maioria pensa logo: “meu chefe não merece” ou “não vou ganhar mais por isso”.
            Enquanto estiver na empresa, vá além. Procure fazer dentro dos padrões e das necessidades, evidente, sem parecer um “puxa-saco”, mas mostrando que determinado trabalho poderá ser melhorado e sua intenção é levar bons resultados para a empresa.
            Reflita: o que você faz além do combinado, mesmo sem receber um centavo, imediatamente, por isso?


2ª. TRABALHE NA ESCURIDÃO
            Sim, trabalhe na escuridão. Gente de sucesso trabalha enquanto as outras dormem. Não significa ser um maluco por trabalho e deixar de lado todo o resto. Quer dizer apenas que você precisa se dedicar fora do comum, em horários onde quem reclama da vida está assistindo novela ou no boteco jogando bilhar. Você também pode ver novelas, e pode jogar bilhar, enfim, pode fazer o que quiser, mas, sabe que na hora em que a coisa pega, você precisa ter disposição para trabalhar qualquer horário.
            Reflita: você lê em casa? Você estuda seu produto, mercado, a concorrência fora do horário normal de trabalho? Você pergunta se seu chefe precisa de ajuda depois do expediente? Cancela algum compromisso se for necessário?


3ª. HONRE SUA PALAVRA
            Antigamente, por exemplo, existiam as mercearias e os chefes de família sempre compravam fiado, não porque gostavam, mas, porque o dinheiro acabava antes do final do mês. Não assinavam qualquer documento ou recibos. 
               A primeira coisa que eles faziam quando recebiam o pagamento era passar em todas as mercearias para pagar a conta.
            Hoje, infelizmente, vemos muita gente sem palavra, e, no aspecto profissional, a honra da palavra não passa do fim do período de experiência. Jamais quebre o que combinou, e, se for para quebrar, que seja para fazer mais e melhor. Caso a empresa onde trabalhe não cumpra o que prometeu, cumpra você. Logo surgem oportunidades para quem tem o coração limpo.
            Reflita: Você tem coragem de olhar para o espelho e dizer: eu sempre cumpro minha palavra?


4ª. VALORIZE PEQUENAS COISAS
            Não importa qual profissão você exerce agora nem quanto você ganha com ela. O que realmente importa é você valorizar o que tem no momento. Os indianos dizem que Deus tira tudo o que a gente não agradece ou não valoriza. Acredito nisso e vejo funcionando o tempo todo. Se você for mecânico, não reclame da vida, do salário, do chefe, da graxa. Faça o seu melhor trabalho como mecânico, até que Deus olhe pra você e pense: “Puxa, esse cara é um excelente profissional, nunca reclama de nada, ganha pouco, mas doa sua alma no trabalho. Vou dar um jeito de melhorar a vida dele”. Isso vale para todas as profissões. Seja você gari, porteiro, ajudante, assistente, secretária, empregado (a) doméstico (a), taxista, engenheiro, eletricista, pintor, professor. Nunca menospreze o trabalho que está na sua frente. É nele que você encontra dignidade e tem a oportunidade de mostrar a Deus, e ao mundo, o quanto você é bom, e, aí, o resto Ele faz, por conta própria ou usando alguém.

           Reflita: Existem dois tipos de pessoas no mundo: aquelas que escolhem ser felizes e aquelas que optam por ser infelizes. A felicidade não vem da fama, da fortuna ou de bens materiais. Ela vem de dentro. A pessoa mais rica do mundo pode estar miseravelmente infeliz, enquanto um que não tenha tantos recursos pode estar sorrindo e contente com a sua vida. As pessoas felizes o são porque se fazem felizes. Elas têm uma visão positiva da vida e permanecem em paz com elas mesmas. E você está fazendo o que por sua felicidade?

 

5ª. ESFORÇO VALE POUCO
            É verdade, esforço vale pouco no mundo corporativo. O que vale são resultados. Claro que para você atingir resultados tem que, além de muita coisa, se esforçar. Mas as empresas não seguram muito tempo quem só se esforça, porque erra mais, dá prejuízo e é chamada de incompetente. Conheço muita gente esforçada, dedicada, no entanto, que vive cometendo os mesmos erros, dando resultados medíocres. É como o gerente financeiro que é esforçado, mas, um belo dia chega ao diretor geral e diz: “Senhor, me esforcei, mas errei nos investimentos e estamos à beira de um colapso”. Se esforce, porém, para dar resultados. Não acredite na história de que o esforçado vai longe. O que o leva longe são os resultados que você apresenta.

            Reflita: você tem apresentado bons resultados?


6ª. CONTINUE
            Sim, a vida da gente é um ato contínuo, não tem fim como nos romances,  novelas e filmes.
DOEU? Continue...
SOFREU? Continue...
FRACASSOU? Continue...  CAIU? Levante...
É UM SUCESSO? Siga em frente...
DEU ALGUNS PASSOS PRA TRÁS E JÁ SE ACHA VELHO PARA TENTAR NOVAMENTE? ...Tome impulso (e fôlego) e continue.

            Na vida, não importa quantas vezes as coisas deram errado, não importa quantas vezes parou. O que vale é o ato de continuar, apesar de tudo, e só escrever fim depois de ter feito tudo, mas absolutamente tudo para que desse certo. Se fizer isso, dá certo, sem dúvida. Continue...

Reflexão Final: 



_______________________

*Fonte: Paulo Sérgio Buhrer 
Qualidade Brasil - O seu portal brasileiro de Gestão 
Imagens: google imagens