Páginas

domingo, 31 de março de 2013

DICAS PARA UMA BOA APRESENTAÇÃO



     Saber apresentar um trabalho na faculdade ou uma ideia/projeto na empresa pode dar um diferencial ao profissional esteja ele na sala de aula, em frente aos colegas e professores ou na sala de reunião, enfrentando o chefe e companheiros de trabalho. Como professora, observo alunos no momento em que apresentam seus trabalhos e sei que muitos se preparam, estudam e, até, se vestem de maneira apropriada para o tão temido dia do seminário, mas outros não estão nem ai. Alem de se apresentarem como se estivessem saindo da praia, não estudam e se escoram nos colegas.
Sabe-se que atualmente em qualquer cargo ou área de atuação, é preciso saber se comunicar. Além da competência para desempenhar o que faz profissionalmente, é necessário também saber falar às pessoas do que é capaz, sejam elas seus clientes, parceiros, superiores ou liderados.
Nas empresas o que tenho observado, pesa mais o nervosismo que teima em chegar na hora da apresentação e alguns profissionais que não tem postura ou dicção apropriada, tornando até incompreensível o conteúdo a ser apresentado.
Procurei reunir nesta postagem, várias dicas que podem auxiliar o profissional a preparar uma apresentação e a se preparar também para “fazer bonito” quando estiver no “palco”.
Para alunos: não é porque você está em sala de aula que pode ir com qualquer roupa. Observe aqui as dicas que cabem à sua apresentação e plateia e saiba que a sala de aula é o ambiente de aprendizado aproveite esse momento.
Lembrando sempre da melhoria contínua, porque se a primeira apresentação foi um sucesso, ou não, aprenda sempre com ela, avalie seus erros e acertos, verifique como foi a recepção de seu público ao que foi apresentado e se empenhe em melhorar nas apresentações futuras. Não deixe que possíveis elogios o convençam que não existem pontos que podem ser melhorados.
Boa Sorte!

Planejamento
1 Planeje suas apresentações - Defina um objetivo, ou seja, aquilo que você quer mostrar ao público (seu superior, colegas de trabalho, liderados ou professor). Depois, reúna as informações mais importantes que realmente interessarão ao público alvo;
2 Quem é o público alvo? – procure associar o conteúdo ao público alvo, bem como a linguagem e vestimenta;
3 Confira tudo - Confira seu planejamento de forma detalhada, antevendo possíveis contratempos e dificuldades e precavendo-se quanto a eles. Chegue cedo ao local, prepare o ambiente da apresentação, verifique som, microfone, computador se tiver no local ou ligue antecipadamente o seu computador, abra sua apresentação observando se o arquivo está ok e não deixe de levar um backup para prevenir.
5 Toda apresentação tem introdução, desenvolvimento e conclusão.
6. Planeje sempre um plano B: Imagine que você precise usar internet e exatamente na hora de sua apresentação cai a rede! Vai acabar a apresentação? Não! Salve todo o material que precisa ter acesso a internet em seu pen drive e tenha cópias de sua apresentação no seu e-mail, cd, entre outras. Alunos: para o trabalho em equipe todos devem ter estudado e todos devem ter uma cópia do trabalho. Não cabe a desculpa de que “a” ou “b” ficou com o trabalho, não pode ir a aula e a equipe irá ficar sem apresentar.
7      Organize-se! Planeje seu tempo. 

Prepare-se:
 1.   Para qualquer apresentação que for fazer, estude, estude e estude várias vezes. Exercite o que vai dizer, para ter fluência na sua fala. Não treine apenas sozinho, se possível, apresente para outras pessoas, que poderão opinar não só sobre o conteúdo, mas na sua forma de falar e expor as ideias. Não se prepare apenas quanto ao conteúdo, mas também pratique a forma de falar e se apresentar. Ensaie sua apresentação, utilize um cronometro para medir o seu ritmo.
2. Fale para seu ouvinte, não para você. Se for necessário, use uma linguagem mais clara e simples.
3. .A introdução é o ponto mais importante da palestra. Prenda a atenção logo no início, caso contrário, dificilmente a apresentação fluirá bem.
4. Varie o tempo para prender o interesse.
5.  Fale de maneira clara, em alto e bom tom. Seja expressivo.
6. Escolha palavras que comuniquem exatamente o que você quer falar.
7. Faça pausas periódicas. Isto ajuda sua plateia a assimilar o que você disse.
8. NUNCA utilize jargões ou expressões populares, palavrões e piadas que indiquem racismos, religião ou preferências sexuais. Pode contar um caso engraçado, mas não exagere, um para cada trinta minutos de apresentação esta de bom tamanho e lembre-se, não tente ser engraçado se você não consegue. Piadinha sem graça, pode deixar uma má impressão.
9.  Varie o timbre, volume e tom de voz, mas seja você mesmo, fale com naturalidade.
10.  Comunique-se também com expressões faciais, gestos e movimentos.
11.  Sempre mantenha o contato visual.
12.  Olhe para várias direções durante o decorrer da apresentação. Não fixe o olhar em uma única pessoa por mais de 2 segundos.
13.  Pode levar anotações, mas só as use em caso de urgência e, se possível, opte por um projetor.
14.  Se as conversas paralelas começarem, aumente o tom de voz para prender a atenção novamente.
15.  Se usar Slides, lembre-se: 80% de imagens e outros gráficos e 20% de palavras escritas.
16. Decore sua fala de abertura. Ensaie quantas vezes for preciso.
17. Utilize roupas que lhe deixem confortável, mas cuidado, mulheres, com cores fortes, bijous extravagantes, maquiagem exagerada, transparência nas roupas, sapatos que desequilibrem, decotes cavados e saias/vestidos curtos. Vista-se bem, mas mantendo a coerência com o conteúdo e plateia. Você não gostaria de assistir a uma palestra de alguém que está de calça surrada, camiseta, calçando chinelos, depenteado e usando óculos escuros, por exemplo.
18.  Utilize um gravador para ensaiar seu timbre e velocidade de voz.
19.  Se você não tem habilidade para utilizar um Laser ou outras “tecnologias”, por favor, não o faça.
20.   Não se limite a ler tudo que está no slide: os slides foram feitos para guiar a apresentação e não para servir de livro digital na sua apresentação. Escreva em tópicos. Não escreva textos longos. A plateia deve se prender a sua apresentação e não ao slide. OBS: Slides com conteúdo mais extenso pode ser utilizado como apoio aos estudantes em sala de aula, mas lembrando que devem ser explicados pelo professor, não apenas lido.
21.  Não esqueça de citar as fontes (autores) do conteúdo a ser apresentado.
22.  Disponibilize-se para fazer networking após a apresentação, ou seja, trocar cartões, conversas e conteúdos que interessem a vida profissional.
23.  Conte sua experiência, desde que ela seja relevante.
24.  Lembre-se, você é quem está apresentando, logo, você conhece o assunto melhor do que todos na plateia. Não deixe que algum metido a sabe-tudo interfira no seu conteúdo.
25.  Não destaque os seus erros, despreparo, problemas de saúde. Tipo: “hoje não dormi, porque estava com muita dor de cabeça”, ou “desculpem, não tive tempo de me preparar” etc. Acreditem. Tem palestrante que diz isso!!! Mas se por acaso aparecer um slide que você esqueceu que havia colocado, é melhor dizer “não tenho ideia de como este slide veio parar aqui” e continuar a apresentação naturalmente. A falta de preparo é, antes de tudo, um desrespeito para com a plateia alem de ser uma irresponsabilidade.
26.  Controle a ansiedade. Gestos como esfregar as mãos, andar pra lá e pra cá, tirar e colocar as mãos no bolso, cruzar e descruzar os braços e outros só demonstra o seu nervosismo. Tente ser o mais natural possível.

?Perguntas:
1. Antes de responder qualquer pergunta, agradeça ao ouvinte por perguntar.
2.  Nem todas as perguntas são interessantes. Não diga que uma pergunta sem sentido é interessante se ela não for.
3.  Esteja preparado para perguntas.
4.  Se não souber responder, não invente uma resposta, seja sincero e diga que vai pesquisar sobre o assunto e que enviará por e-mail, caso não haja um novo encontro com o mesmo grupo. Mas lembre de enviar a resposta.
5.  Responda perguntas dirigindo-se ao grupo.
6.  Deixe seu e-mail disponível para novas perguntas.

 Prepare bem o material
Dicas para apresentação em slides.

1 Não cometa erros de ortografia: Não checar a escrita das palavras demonstra completa falta de cuidado e atenção.
2 Não crie combinações de cores que causem distração: Azul e verde são as mais difíceis de ler.
3 Não usem diversas fontes na sua apresentação, no máximo três estilos de fontes numa apresentação inteira.
4 Não utilizem uma fonte muito pequena. Fonte tamanho 24 a 28 são ideais.
5 Não insira imagens distorcidas. Procure imagens de tamanho superior ao seu slide e reduza ao tamanho necessário. Nunca pegue uma imagem pequena e aumente sua dimensão, a resolução vai ficar ruim.
6 Não abuse das animações, efeitos e “barulhinhos”.
7 Atualize seus softwares de criação de slides. Procure sempre estar por dentro das novidades que giram em torno dos softwares de edição de slide.

Fonte: google imagens
__________________________________________________

Dúvidas? Dicas?
Mandem e-mail!

sábado, 23 de março de 2013

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE RECURSOS HUMANOS


PALESTRA FACULDADE GUARARAPES - TURMA PÓS EM LOGÍSTICA


Planejamento Estratégico de Recursos Humanos é uma projeção de como a empresa vai adquirir e utilizar seus recursos humanos em prol do alcance dos objetivos traçados pela organização.
Portanto, as estratégias empresariais para obterem sucesso devem levar em consideração os recursos humanos existentes, da mesma forma que se planeja Marketing, Finanças e outras áreas, devem-se planejar as estratégias que serão utilizadas pela área de Recursos Humanos, no sentido de viabilizar a consecução de tais objetivos planejados pela organização

Algumas fotos








quinta-feira, 14 de março de 2013

ANTES DE SAIR PARA TRABALHAR, TENTE: 14 COISAS QUE VOCÊ DEVE FAZER.


Gosto muito das publicações do site administradores.com. Encontrei essas dicas para compartilhar com vocês. O interessante, observem, são 14 dicas que deve-se seguir antes de sair para trabalhar, mas que são planejadas no dia anterior. Isso faz com que a rotina no trabalho seja mais organizada e, espera-se, menos estressante.

Aproveitem!!!

Pior que sair do seu trabalho estressado é saber que amanhã estará batendo o mesmo ponto. Normalmente, não se pode mudar o futuro a curto prazo, mas há coisas que você pode fazer que deixará o final de seu dia muito menos exaustivo.
Terminar o dia bem disposto é fundamental, pois isso determinará como você irá começar o dia seguinte”, analisa a especialista em ambiente de trabalho para a Forbes, Lynn Taylor. Para ela, tudo irá interferir na produtividade do profissional.
Se terminar o dia bem também irá garantir um olhar para trás com um sentimento de realização e satisfação, fazendo você acordar mais fácil dia seguinte para recomeçar a rotina, acrescenta a autora do livro “Blind Spots: The 10 Business Myths You Can’t Afford to Believe on Your New Path to Success”, Alexandra Levit.
Para obter esses benefícios e tornar sua vida mais saudável e realizada, a Forbes levantou junto a especialistas, 14 dicas do que você deve fazer no final do seu expediente de trabalho, confira:

1. Avalie a sua lista de coisas para fazer

Faça uma relação do que você fez durante o dia e do que ainda tem em pendência. “Se você não está satisfeito com sua produtividade, planejar o que você precisa fazer e quando precisa entregar fará você ter uma noção de tempo para colocar tudo em ordem”, disse a coaching de carreira, Anita Attridge. Se você pode fazer algo rapidamente antes de sair, utilize esse tempo. Isso vai poupar preocupações antecipadas na manhã seguinte.

 2. Reveja sua agenda para o dia seguinte
Você precisa estar ciente de quaisquer reuniões ou atividades importantes do próximo dia. Ainda pode usar esta oportunidade de programar o tempo em seu calendário para realizar os demais itens da lista. “Pense no que você está mais ansioso para realizar amanhã. Isso vai ajudar a deixar para trás o que aconteceu hoje, irá enriquecer o seu humor e colocar um ponto final no seu dia de trabalho”, sugere especialista em empregabilidade, David Shindler.


3. Check-list com seu chefe e colegas

Após listar todas suas atividades pendentes e achar que talvez não consiga realizá-las até o final do dia, converse com o seu chefe e veja com ele se algum prazo pode ser prorrogado. Esta também é uma boa oportunidade para checar prazos e confirmar se todos estão na data e horário certos.

4. Organização

Ninguém é tão produtivo com uma mesa, gavetas e agendas desorganizadas. A situação piora quando você vai embora e não sabe onde estão suas chaves, o telefone que terá de ligar no dia seguinte ou o crachá de acesso. Esses minutos perdidos deixam qualquer profissional estressado no final do dia. A dica de organização também serve para a caixa de e-mail e os diversos post-it distribuídos ao redor de seu computador.

5. Hora certa

O final do dia é o melhor momento para lidar com a papelada e tarefas que não requerem ligações ou reuniões (atividades que exigem mais tempo). “E-mails, relatórios, memorandos e projetos são melhor tratadas quando telefonemas, textos e outras distrações desaparecem”, diz Taylor.

6. Assuntos dominados
Certifique-se de amarrar todas as tarefas soltas para que você possa realmente desligar quando sair do trabalho. Não deixe nada suspenso, se pode ser rapidamente resolvido. “Não há nada pior do que ter aquela sensação de algo incompleto na cabeça”, diz Woodward.

7. Faça outra lista de afazeres

Determine o que você deve fazer no dia seguinte e ter um plano de como e em quanto tempo realizará essas tarefas. Você provavelmente vai atualizar ou expandir sua lista de afazeres na manhã seguinte. “Qualquer coisa que você pode fazer para ter um bom começo de manhã vai ajudar a atingir dias mais produtivos e uma carreira mais feliz”, afirma Taylor.

8. Reflexão sobre o dia

A maiora das pessoas não faz isso, mas deveria. Saber o que deu certo e o que deu errado e pensar sobre como melhorar sua produtividade ou relação com colegas e chefe traz soluções inimagináveis para grande parte dos problemas que “lhe tiravam o sono”.

9. Rotina

É muito importante criar rotinas e rituais no trabalho, pois ajuda a nos sentirmos satisfeitos ao final do dia com nossas realizações. Também, ao longo prazo, as tarefas vão ficando cada vez mais fáceis e sistemáticas, o que diminui as chances de se esquecer de algo importante. Ter o hábito de tratar bem seus colegas de trabalho, também te faz bem ao final do dia.
“Nós tendemos a pensar sobre a importância de dizer bom dia para começar o dia, mas nos esquecemos de que dizer boa noite pode ser tão importante quanto. Fará bem a todos dizer um adeus apropriado, em vez de apenas silenciosamente ir embora. Isto fica triplamente importante se você é o supervisor ou chefe”, diz Kerr.

10. Nota positiva

Se algo deu certo em seu dia, se algum cliente fechou contrato ou seu colega te fez rir, deixe um agradecimento a eles. “A ideia é encontrar algo positivo que faz você se sentir bem com o seu trabalho e ter certeza de que ir embora é a última coisa que estará em sua mente”, diz Wooodwad.

11. Economize

Ajudar o meio ambiente não faz mal a ninguém, muito pelo contrário. Desligue as luzes e equipamentos, não custa nada.

12. Desconecte-se

Não tenha medo de desligar seu smartphone, tablet ou os alertas de e-mail. Seu trabalho se limita as horas cumpridas e não aos finais de semanas, feriados ou tarde da noite, em casa.


13. Deixe seu estresse atrás da porta

Quando fechar a porta do trabalho, não pense nas preocupações que ficaram lá dentro, isso não ajudará em nada, só te fará perder o resto do dia. “Sua família precisa de você presente e bem, por isso faça o que puder para garantir que o estresse permanece no escritório”, afirma Woodward.

14. Vá para casa

Às vezes não é a empresa, o chefe, o trabalho ou os colegas que fazem péssimo o final do expediente, mas sim você mesmo. Geralmente, os workaholic esquecem que têm uma vida após o trabalho, e mesmo achando que está tudo bem por estar trabalhando, uma hora o cansaço bate e você poderá culpar a empresa.

 Shindler acrescenta: “Não fique apenas para fazer sala com o chefe mas também não vá embora só porque você pode. Seus colegas podem depender de você. Faça as coisas certas, mas as faça direito”.



____________________________________________
Fonte:
Publicado em: 1/09/2012 - http://www.administradores.com.br
Figuras: google imagens

terça-feira, 12 de março de 2013

O Tesouro de Bresa e o Ciclo de Melhoria Contínua aplicados à busca pelo conhecimento (Carmen Lúcia Couto)






         Quando se lê o título dessa publicação, logo vem a pergunta: o que tem a ver a fábula de um homem que procura um tesouro, com a melhoria contínua e a busca pelo conhecimento? Observa-se, porém, nessa referida fábula a essência da MELHORIA CONTÍNUA e incorporação da maior riqueza (tesouro) que o ser humano pode adquirir: o CONHECIMENTO.
De acordo com Davenport e Prusak (1988, p. xv) “a única vantagem que uma empresa tem é aquilo que ela coletivamente sabe, a eficiência com que ela usa o que sabe e a prontidão com que ela adquire e usa novos conhecimentos.”
Ao se substituir a palavra empresa por “ser humano”, observa-se que o conhecimento é, sem dúvida, a grande vantagem competitiva que se tem diante dos desafios de mercado e, como ninguém pode tirá-lo do “dono”, é um patrimônio que será eterno. Mas para que essa riqueza aumente deve-se passar por um processo diário de melhoria contínua (a aprendizagem contínua). Ao se melhorar num aspecto (comportamental, intelectual ou mesmo no visual) é necessário analisá-lo e estudá-lo, buscando aperfeiçoá-lo mais ainda. É um processo cíclico. Quando se participa de um curso hoje, amanhã já procura-se temas mais atuais para aumentar o tesouro e assim continuamente.
Quando se fala em melhoria contínua, não se pode deixar de associar à grande ferramenta que é aplicada aos processos na empresa e à própria vida pessoal/profissional (por que não?), que é o Ciclo PDCA.
O ciclo PDCA, idealizado por Walter Shewhart (americano e conhecido como pai do controle estatístico de qualidade) e efetivamente aplicado e popularizado no Japão após a segunda guerra por Edward Deming (americano que a partir de 1950, ensinou aos altos executivos como melhorar projeto, qualidade de produto, teste e vendas e fez grandes contribuições ao Japão).
 O PDCA tem por princípio tornar mais claros e ágeis os processos envolvidos na execução da gestão como, por exemplo, na gestão da qualidade. 
Na empresa, o PDCA é aplicado principalmente nas normas de sistemas de gestão e deve ser utilizado de forma a garantir o sucesso nos negócios, independentemente da área ou departamento da empresa.
Na vida, pode-se aplicar o ciclo como um apoio à análise das ações diárias, bem como, na melhoria do aprendizado do dia-a-dia.
            O ciclo inicia pelo planejamento, em seguida a ação ou conjunto de ações planejadas são executadas, checa-se se o que foi feito estava de acordo com o planejado, constantemente e repetidamente (ciclicamente), e toma-se uma ação corretiva para eliminar ou ao menos mitigar defeitos no produto ou na execução. A seguir uma figura, demonstrando o Ciclo PDCA (Campos, 1996).

 Os passos são os seguintes:
Plan (planejamento): Estabelecer missão, visão, objetivos (metas), procedimentos e processos (metodologias) necessários para se atingir os resultados.
Do (execução): Realizar, executar as atividades.
Check (verificação): Monitorar e avaliar periodicamente os resultados, avaliar processos e resultados, confrontando-os com o planejado, objetivos, especificações e estado desejado, consolidando as informações, eventualmente confeccionando relatórios.
Action (ação) : Agir de acordo com o avaliado e de acordo com os relatórios, eventualmente determinar e confeccionar novos planos de ação, de forma a melhorar a qualidade, eficiência e eficácia, aprimorando a execução e corrigindo eventuais falhas. 
Na fábula a seguir pode-se observar a aplicação da melhoria contínua no processo de “busca ao tesouro”, pelo alfaiate Enedim.
Primeiro, o foco: vir a ser riquíssimo.

Fases do Ciclo:

P = Planejar – pode ser associado a: Enedim tratou de examinar, sem demora, o bem que havia adquirido...

D = Executar - decifrar todas as páginas daquele livro.

C = Checar – ver se todo seu aprendizado serviu para aplicar em alguma ação (descobrir o tesouro).

A = Agir Corretivamente – cada vez que checava, via que tinha que aprender mais para atingir seu foco.

         E com isso, o Enedim, atingiu (mesmo sem saber, em princípio) o que ele queria, ficar rico. Ocupando os cargos por meio da aplicação do seu grande tesouro: o conhecimento.

Agora leiam a fábula, analisem e estabeleçam suas próprias conclusões.

 Tesouro de Bresa

Houve outrora, na Babilônia, um pobre e modesto alfaiate chamado Enedim, homem inteligente e trabalhador, que não perdia a esperança de vir a ser riquíssimo. Como e onde, no entanto, encontrar um tesouro fabuloso e tornar-se, assim, rico e poderoso?

Um dia, parou na porta de sua humilde casa um velho mercador da Fenícia, que vendia uma infinidade de objetos extravagantes. Por curiosidade, Enedim começou a examinar as bugigangas oferecidas, quando descobriu, entre elas, uma espécie de livro de muitas folhas, onde se viam caracteres estranhos e desconhecidos. Era uma preciosidade aquele livro, afirmava o mercador, e custava apenas três dinares.
Era muito dinheiro para o pobre alfaiate, razão pela qual o mercador concordou em vender-lhe o livro por apenas dois dinares.

Logo que ficou sozinho, Enedim tratou de examinar, sem demora, o bem que havia adquirido. E qual não foi sua surpresa quando conseguiu decifrar, na primeira página, a seguinte legenda: "O segredo do tesouro de Bresa." Que tesouro seria esse?

Enedim recordava vagamente de já ter ouvido qualquer referência a ele, mas não se lembrava onde, nem quando. Mais adiante decifrou: "O tesouro de Bresa, enterrado pelo gênio do mesmo nome entre as montanhas do Harbatol, foi ali esquecido, e ali se acha ainda, até que algum homem esforçado venha encontrá-lo.”

Muito interessado, o esforçado tecelão dispôs-se a decifrar todas as páginas daquele livro, para apoderar-se de tão fabuloso tesouro. Mas, as primeiras páginas eram escritas em caracteres de vários povos, o que fez com que Enedim estudasse os hieróglifos egípcios, a língua dos gregos, os dialetos persas e o idioma dos judeus.

Em função disso, ao final de três anos Enedim deixava a profissão de alfaiate e passava a ser o intérprete do rei, pois não havia na região ninguém que soubesse tantos idiomas estrangeiros.
Passou a ganhar muito mais e a viver em uma confortável casa.

Continuando a ler o livro, encontrou várias páginas cheias de cálculos, números e figuras. Para entender o que lia, estudou matemática com os calculistas da cidade e, em pouco tempo, tornou-se grande conhecedor das transformações aritméticas. Graças aos novos conhecimentos, calculou, desenhou e construiu uma grande ponte sobre o rio Eufrates, o que fez com que o rei o nomeasse prefeito.

Ainda por força da leitura do livro, Enedim estudou profundamente as leis e princípios religiosos de seu país, sendo nomeado primeiro-ministro daquele reino, em decorrência de seu vasto conhecimento.
Passou a viver em suntuoso palácio e recebia visitas dos príncipes mais ricos e poderosos do mundo.
Graças ao seu trabalho e ao seu conhecimento, o reino progrediu rapidamente, trazendo riquezas e alegria para todo seu povo.

No entanto, ainda não conhecia o segredo de Bresa, apesar de ter lido e relido todas as páginas do livro.
Certa vez, então, teve a oportunidade de questionar um venerando sacerdote a respeito daquele mistério, que sorrindo esclareceu:
- O tesouro de Bresa já está em seu poder, pois graças ao livro você adquiriu grande saber, que lhe proporcionou os invejáveis bens que possui. 
Afinal, Bresa significa "saber".



"Nós somos o que fazemos repetidamente. Portanto, a excelência não é um ato, mas um hábito”. Aristóteles

 _______________________
Imagens: Google imagens

domingo, 10 de março de 2013

LIVRO DIGITAL SE FORTALECE NO MERCADO


Por Jadson de Souza, do Jaboatão em Foco


A Editora Navras Digital completa dois anos anunciando uma série de contratos com distribuidores e livrarias, nacionais e internacionais, visando dar mais visibilidade a um catálogo que já reúne mais de 50 escritores que, além de publicar em livros impressos, estão agora no mundo digital.

Criada no Recife pelo escritor Fernando Farias e pelo designer Gustavo Gonçalves, a Navras Digital fechou parcerias com a Amazon.com, a Google Play e Apple Store. Agora, novo convênio com a livraria Cultura amplia ainda mais as possibilidades de divulgar os livros dos autores nordestinos.

De acordo com escritor Fernando Farias, “Começamos a trilhar o caminho do livro digital há três anos, mas tivemos que aprender muito com as novas tecnologias. Os maiores desafios foram vencer a ilusão de que o livro digital vai acabar com o impresso e buscar ferramentas que impedisse a cópia pirata dos livros”.

Aos poucos os escritores foram aceitando colocar seus livros à venda para tablets e smartfones, começaram a perceber que realmente é possível conviver com variados formatos.

Segundo Gustavo Gonçalves o livro digital de verdade, não é arquivo em PDF, não permite cópias e nem é possível imprimi-los. Isso deu confiança aos escritores. “Além do barateamento dos equipamentos como leitores digitais e o avanço das vendas mundiais, de livros nesse formato digital, fortaleceu muito o mercado, mostrando que estamos no caminho certo”. Com base nesta tendência, buscamos dar maior visibilidade aos autores, agregando vários serviços adicionais, como consultoria web,  Marketing digital entre outros.

É um mercado em expansão. Hoje se prevê a venda de 3,5 milhões de livros só no Brasil. Nos Estados Unidos, a relação digital x impressos, já chega a 50%.