Páginas

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Ano Novo, Velha Seca. Cadê a chuva São Pedro? (Carmen)

                     Mais de 8 milhões de brasileiros sofrem com o atual período de semiaridez, definido por especialistas como a pior seca dos últimos 40 anos.
                     

                    
           O que coloco na poesia a seguir é um desabafo em relação à situação e, de certa forma, uma homenagem ao nordestino. Povo que sofre, mas mantem a firmeza, atitude e o sorriso. Foi considerado recentemente (em pesquisa divulgada em novembro de 2012) como o "povo mais feliz do Brasil". A  hospitalidade, o espírito alegre e a vontade de fazer o bem, apesar de tudo,  ajudaram a receber esse "título". 
                    A postagem deveria ter sido no início de 2013, mas ainda há tempo. 
                    Vamos em frente!



Ano Novo, Velha Seca.
Cadê a chuva São Pedro?
   (Carmen Lúcia Couto)


 Ano Novo
Velho mundo
Sertão brabo...solidão
Mesmos rostos
Fome, miséria,
solo rachado,
ermo na imensidão.

Cadê a chuva São Pedro?
Acaba com essa seca
Leva embora a tristeza
o calor, as mortes... a fome.
Deixa o homem trabalhar,
plantar e ter um nome.

Cadê a chuva São Pedro?
Tira esse povo do castigo
devolve a esperança
de que o ano novo vem trazendo
fartura, amor e saúde pra criança.

Nordestino é povo alegre,
hospitaleiro e gentil.
Disse, até, uma pesquisa:
é o povo mais feliz do Brasil!
Sofre e sorri,
(alguns nem dentadura tem!)
mas mantem o brilho no olho
e o coração de quem quer bem.
Gente batalhadora e guerreira.
Que mesmo ardendo na estiagem
encontra força, querer e coragem
para prosseguir e viver.
Vendo o bicho no quintal morrer,
o filho adoecer... a mulher padecer.

Alguns acham ânimo pra deixar sua terra
e procurar em outra cidade sobreviver.
Muitos lá fora ficam pra sempre,
deixam viúvas suas Marias
e sem pai, suas crias.
Aqueles que voltam,
trazem a decepção e a certeza
de que um mundo melhor
somente junto aos seus, encontrarão.

Chega então o político.
Candidato a doutor salvador,
que para ganhar o voto
rouba a alma do inocente
por um quilo de arroz
ou um punhado de semente.
Promete também um par de sapatos
e um saco de feijão.
Do sapato entrega o pé direito,
porém o esquerdo só depois da votação.
Perdendo ou ganhando,
o doutor vira as costas
e o inocente, coitado,
fica sem um pé do sapato,
sem a semente na roça e
sem arroz e feijão no prato.

Cadê a chuva São Pedro?
A história da seca é sempre igual.
Quem é o culpado?
O homem, que não sabe conviver com ela?
São Pedro, que chuva não manda?
Ou o doutor salvador, que pega o voto,
 o dinheiro do cargo e esquece o eleitor?
Passados quatro anos a mesma situação.
Novas promessas, poucos resultados,
mas o importante é ganhar a eleição!!!

O inocente, coitado,
fica a olhar para o céu.
No desejo... na vontade e no medo.
Não desiste de rezar, de implorar e, 
com lágrimas, indagar:
cadê a chuva São Pedro?

************************

“não tem carranca, nem trator, nem alavanca.
Quero ver quem é que arranca nós aqui desse lugar”
(A Violeira, Chico Buarque)


domingo, 20 de janeiro de 2013

Ócio Criativo ou Férias?


Carmen Lúcia Couto

“O futuro pertence a quem souber libertar-se da ideia tradicional do trabalho como obrigação ou dever e for capaz de apostar num sistema de atividades, onde o trabalho se confundirá com o tempo livre, com o estudo e com o jogo, enfim, com o “ócio criativo”(De Masi).
  
Muitas pessoas passam o ano sonhando com o tão esperado período de  férias, mas quando este chega, para aquelas que não estão com uma programação prévia ou encontram-se numa fase de poucos recursos financeiros, surge a pergunta: o que fazer?
O sociólogo Domenico De Masi em sua obra o Ócio Criativo defende uma teoria onde o futuro é de quem souber libertar-se da ideia tradicional do trabalho como obrigação e for capaz de mesclar atividades, como o trabalho, o tempo livre e o estudo. 

 google imagens

De Masi já vêm popularizando essa tese ao redor do mundo há mais de dez anos. Para o autor, trabalho e lazer não devem continuar a ser como a água e o óleo. Então, no período de férias, pode-se tentar praticar a teoria do “ócio criativo”, que tal?
É nessa fase que estamos mais relaxados, isso pode vir a facilitar a geração de novas ideias.
As férias também servem para mais leitura, aprender coisas novas, fortalecer relacionamentos, colocar a criatividade em ação, ir ao cinema, teatro,  palestras e cursos de curta duração.


google imagens

O termo “férias” vem do latim feriae que significa “dia de descanso”. No Brasil, são 20 ou 30 dias dedicados à recarga das energias gastas em um ano de trabalho. Nada mais justo e recomendado para a saúde. Quando estamos de férias nos entregamos ao ócio. Esse termo surgiu a partir de otius que quer dizer “folga, repouso, lazer”. De Masi não prega o ócio pelo ócio, mas sim uma forma diferente de trabalhar, já que a produção criativa se assemelha em grande parte aos nossos momentos de prazer, convívio social e lazer. Então, aproveite mais seu tempo livre, porque se entregar completamente ao ócio, cansa!!!
Concorda?

No vídeo abaixo pode-se entender a aplicação do termo no dia- a-dia das empresas. É necessária uma mudança cultural e o verdadeiro entendimento do significado do ócio criativo para o ambiente corporativo e sua influência na criatividade das pessoas.



sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

LÊ GUEDES - DIA 11 DE JANEIRO - CASA DE SEU JORGE

DIA 11 DE JANEIRO A PARTIR DAS 21:00h, NA CASA DE SEU JORGE poderemos assistir ao show do pernambucano LÊ GUEDES. A abertura será do DIOGO SANTOS e contaremos com a participação mais que especial de ZÉ RENATO.


LÊ GUEDES

Natural de Recife (PE), Alexandre Guedes Ramalho, mais conhecido como LÊ GUEDES, nos presenteia com sua arte musical inspirada nas belezas e sutilezas da natureza, e todas as formas de vida. Com essa temática, nasce seu primeiro trabalho "Um Arco-Íris na Estrada", com canções que abordam, além da Natureza, o Amor e Questões Sociais. Além de ter parcerias, em algumas composições, com artistas do cenário musical independente, como Nô Stopa, Maria Izilda e Wesley Nóog. traz preciosidades como "Aquela Gota", "Arco-Íris Diferente" e "Como é Vital". E foi produzido por Felipe Pegoraro (Pipo), grande amigo de Lê e um dos maiores incentivadores desse trabalho. Por sua canção "Estrela", Lê se classificou em 3º lugar no festival de música "RBN também é jovem", promovido pela Rádio Boa Nova. E pela mesma rádio, concedeu entrevistas no programa "Roteiro" com Adriano Marques, e "Juventude Maior" com Ana Faccin, Franklin Félix e Márcio Sena. Na TV Mundi, se apresentou após a entrevista do ator Renato Prieto, o André Luiz do filme "Nosso Lar". Lê Guedes segue sua agenda de shows e já tem seu segundo trabalho entitulado "Evolução". 
http://palcomp3.com/leguedes
Mais Lê Guedes neste blog: http://carmen-fonseca.blogspot.com.br/2012/07/le-guedes_03.html



 DIOGO SANTOS



Participação Super Especial Zé Renato






Local: Casa de Seu Jorge
Avenida Santos Dumont, 1066 - Rosarinho, Recife - PE