Páginas

domingo, 1 de julho de 2012

Entrevista de Emprego: você está preparado? Parte II


Hoje posto a segunda parte do tema entrevista de emprego. São dicas em relação a salário, horário, perguntas pessoais e outros.
De acordo com as pesquisas, as características pessoais mais procuradas pelos entrevistadores são: objetivos profissionais e de vida definidos; automotivação; iniciativa; responsabilidade; dedicação; ambição; capacidade de aprender; capacidade de trabalho em equipe; e ser voltado para resultados. Fora isso, é necessário mostrar atitude positiva, que significa a maneira como nos comportamos em relação à vida. Quer dizer: se somos pessimistas, egoístas e revoltados ou otimistas, colaborativos, sociáveis e participantes.
Para que os objetivos da empresa sejam alcançados, é essencial que a atitude do grupo seja positiva, otimista, colaborativa e caminhe para uma mesma direção, rumo, FOCO! Reforço, ainda, que o candidato precisa ter também expectativas coerentes e foco de vida.
Quando digo Expectativa Coerente, é porque muitos associam o sucesso profissional e pessoal apenas por meio dos salários altos que recebem. Então pergunto: por que existem tantos profissionais bem sucedidos e infelizes? Já comentei isso na postagem anterior, mas ratifico mostrando que com o tempo, descobrimos outros fatores tão ou mais importantes para nós, como a satisfação pessoal e a satisfação profissional. São sentimentos que nenhum salário alto traz por si só. Se pudermos associar os dois. Excelente!

Ao se falar em foco e expectativa profissional, certa vez um aluno contou na sala de aula que estava participando de uma seleção e, na dinâmica, quando a entrevistadora perguntou abertamente aos candidatos “qual o objetivo profissional dele em relação à empresa”, um dos participantes respondeu que gostaria de trabalhar naquela empresa para “juntar dinheiro, comprar uma moto e ser motoboy, para viver por conta própria!” Nesse caso ele foi muito honesto, porém sua expectativa profissional estava incoerente para um candidato a uma vaga no mercado

Quando o profissional é entrevistado, deve deixar transparecer que busca a realização pessoal e profissional, também o desejo de fazer parte de uma equipe de sucesso e de poder contribuir para a construção de algo representativo. Outro ponto esperado pelo entrevistador é maturidade, que não está ligado à idade. Ser maduro significa ser ponderado e prudente. Na entrevista, significa ouvir e pensar antes de falar. Não se precipitar nas respostas.
Seguem algumas dicas quanto a:
ðSalário - se justifica o quanto se quer ganhar procurando se basear na média de salário pago para aquele cargo pretendido pelo mercado, podendo subir caso o candidato tenha experiência específica no segmento de atuação da empresa, ou ainda, venha de uma empresa concorrente.
ð Restrições ao horário de trabalho - algumas empresas oferecem vagas com horário flexível, mas isso é a exceção. Quem quiser realmente seguir uma carreira tem que optar por uma dedicação de tempo mínima para a empresa.
ð Atitudes que ajudam a conquistar o entrevistador – saber ouvir e evitar respostas fechadas do tipo sim ou não. Deve-se dar uma resposta mais elaborada, mas com cuidado para não ficar muito longa. É preciso ainda mostrar interesse pela empresa e pela vaga oferecida e mostrar disponibilidade e flexibilidade para participar das próximas etapas da seleção.
ð Conhecendo a empresa e o cargo - a empresa já faz um resumo das responsabilidades envolvidas no cargo em questão bem como o perfil do candidato procurado quando lança o edital de seleção. De posse dessa informação, o candidato deve procurar conhecer o máximo possível sobre a empresa em que pretende trabalhar, através de pesquisa na Internet e do cargo em questão.

Existe ainda uma parte na entrevista que diz respeito a perguntas pessoais (às vezes, até, muito pessoais!). Na verdade não se julga se o candidato fez ou não aquilo, não há uma resposta correta. Analisa-se como ele reage em uma situação de desconforto.
Perguntas como: Você já infringiu alguma lei? Utilizou drogas ilícitas? Existem e por mais que essas perguntas possam ser consideradas invasivas pelo candidato, em algumas empresas, principalmente nas multinacionais, esse tipo de questão é considerada essencial em um processo de seleção. Algumas empresas não dispensam esse tipo de pergunta, pois determinadas colocações exigem habilidades específicas. Nesse caso, a reação do candidato e a maneira que lidará com a questão são os aspectos relevantes para os recrutadores.
Deve-se responder honestamente. De acordo com especialistas, quando o tema é álcool ou drogas, por exemplo, o que preocupa é a instabilidade do candidato. Avalia-se o controle emocional e se o candidato tem capacidade para lidar com problemas.
Perguntas muito pessoais podem não ter sentido para os candidatos, mas profissionais que já praticaram ações antiéticas precisam ser identificados na fase da entrevista pelos recrutadores. Se o candidato tem alguma informação obscura e que não foi bem explicada, será possível notar durante o desenvolvimento da resposta. Ou seja, reagir de forma explosiva ou intempestiva, é um indício de que o profissional está escondendo algo.
Alguns temas podem ser considerados delicados para o candidato responder, principalmente se ele passou por uma situação semelhante recentemente, então se a pergunta entrar em um assunto delicado, como divórcio, a morte de um familiar, assédio moral ou um abuso, o candidato deve deixar claro que este é um ponto delicado e que o incomoda. O recrutador irá entender.

Coerência, foco, controle e honestidade.
Se liguem!
Aguardem a próxima postagem.




Referências:



Livro O Segredo do Entrevistador - Roberto Caldeira (editora Brasport)

Foto: google imagens

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante. Obrigada!