Páginas

sábado, 2 de novembro de 2013

Era uma vez...

(Carmen Lúcia Couto)
Era assim, meio noite, meio dia
em uma infinita harmonia,
Foi assim, um silêncio contagiante
que penetrou nos olhos,
derramou no espaço,
surgiu no mormaço,
aos pés de uma fantasia.

Foi sempre assim, encontro de almas,
unidas por um segredo,
uma tortura ... um medo.
Devaneio de criança
à procura de um herói,
em um conto infantil onde tudo acontece.

Era uma vez...
aquele que um dia contagiou
com palavras, olhares
 
mentiras e saudade,
o peito de quem cresceu,
a alma de quem mudou,
da vida para o conto...
do conto para o nunca.
E o nunca virou real!
O príncipe, que continua no tempo,
traduziu-se em silêncio.
O castelo, vestiu-se em pó.
O sonhou, soprou-se ao vento
e será sempre uma dor...
um momento sem cor...
... e só!

google imagens

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante. Obrigada!