Páginas

terça-feira, 6 de março de 2012

Como montar um bom Currículo

 (Carmen Fonseca) 

            O currículo é a sua apresentação profissional e certos erros podem ser fatais na seleção do emprego. O documento não vai garantir sua contratação, mas já é uma parte do caminho a ser percorrido. De acordo com especialistas os empregadores dedicam, em média, apenas 40/45 segundos à leitura. Mas a medida certa do conteúdo, não é fácil. Se for um currículo muito longo pode ser engavetado, se for muito curto, pode omitir informações essenciais sobre o candidato. Conforme Gilberto Sobrinho, diretor de RH do grupo Foco Talento “para acertar a medida, o ideal é apostar na personalização, de acordo com a vaga pretendida. Preparar um bom currículo demanda tempo, porque é preciso pensar nas informações mais importantes e revisar sempre, focando nos aspectos que a vaga pede”.

         Ao escrever seu curriculum vitae deve-se observar uma série de regras e dicas para diferenciar o candidato entre os demais à vaga, destacando suas qualidades profissionais e pessoais. Antes de começar a escrever o documento, procure fazer uma reflexão sobre sua formação e carreira profissional, identificando seus pontos fortes. Na hora de redigí-lo, faça-o com calma - leia e releia-o várias vezes até ter a certeza de que está tudo certo. Português errado, excesso de informação, fotos inadequadas, letras coloridas etc. São os vários erros cometidos.
Antes de preparar ou atualizar o currículo, lembre-se de que ele é uma apresentação da sua própria vida. "Na verdade, ele é o espelho da pessoa, um reflexo” (headhunter Laís Passarelli).
Seguem abaixo as orientações que poderão ajuda-lo momento de montar seu currículo.
A) CONTEÚDO
1 - Dados pessoais: Resumem-se ao seu nome, endereço com CEP, telefone, email e só. Idade e estado civil são optativos. Não há necessidade de colocar número de CIC, RG, carteira profissional ou título de eleitor. A função do currículo é estimular uma entrevista pessoal - documentos serão pedidos nas etapas seguintes. Para ser encontrado de forma fácil e rápida, mantenha sempre atualizados telefone e e-mail.
Informe também possibilidade de contato online (Google Talk, MSN etc). Para vagas na área de Humanas, incluir redes sociais (Twitter, Facebook, Orkut) também pode ser boa idéia, desde que elas sejam um espelho do seu perfil profissional e não contenham informações pessoais que possam comprometer sua imagem (observe os artigos sobre esse tema neste blog). Coloque essas informações em um campo separado no final do documento.
2 - Objetivo: Deixe claro, logo no início, a qual cargo você está se candidatando ou qual a sua área de interesse.
3 - Formação: Mencione os cursos de nível superior, de pós-graduação e especializações que fez, na ordem do último para o primeiro. Não se esqueça de colocar os anos de início e término de cada um e o nome completo das instituições. Desista de tentar impressionar o leitor de seu currículo aglomerando cursos relâmpagos. Destaque apenas os que realmente contribuíram para sua formação profissional e realizações.
4 - Experiência profissional: Trata-se de um resumo (máximo de dez linhas), sobre sua carreira, a ser exposto na primeira página. O leitor precisa entender sua evolução profissional numa rápida passada de olhos, por isso vá direto ao ponto. Inicie sempre pela experiência mais recente e foque nos resultados alcançados.
5 - Histórico profissional: O ideal é salientar os cargos mais recentes. Inclua data de admissão e de saída, o nome da empresa e o cargo. Se as empresas por onde você passou não forem conhecidas, faça um resumo (de duas linhas no máximo) do perfil, setor em que atua, faturamento e número de empregados. Comente sobre o departamento em que atuava e explique a sua importância para a empresa. Sintetize suas principais realizações em duas linhas. Destaque projetos que liderou ou dos quais participou, metas atingidas, etc. Avalie também a necessidade de descrever experiências em áreas diferentes ou de curta duração e dê preferência às principais funções executadas em sua vida profissional;

6 - Idiomas: Seja honesto. Qualquer informação colocada no currículo sempre será checada. Se for fluente, diga que é fluente. Se for intermediário, coloque intermediário. Também mencione se estiver frequentando algum curso. Listar nomes dos certificados de proficiência da língua e intercâmbios culturais ajuda. Desculpas do tipo "meu inglês está enferrujado" ou "com um curso de imersão, recupero meu espanhol" não funcionam e podem até irritar os entrevistadores.

7 Informações Adicionais: caso necessário informe se tem disponibilidade para viagens, intercâmbio ou outra informação relevante que não se encaixe nos itens acima.

B) REVISÃO
Depois de pronto, leia e releia o texto com calma e atenção. É recomendável mostrá-lo para algum amigo mais experiente, que possa alertá-lo para possíveis deslizes, ou até mesmo contratar um revisor. Erros de português e de digitação passam idéia de desleixo

C) ORIENTAÇÕES DE FORMATO
            Uma boa apresentação conta muito. Embora o conteúdo certamente fale mais alto, a apresentação do currículo conta muitos pontos a favor. Um currículo bem formatado, apresentável, organizado e impresso em um bom papel, transmite a idéia de um profissional competente e diferenciado.
Número de páginas: O currículo deve ter entre duas e três páginas. Se o histórico profissional for muito grande, faça um resumo dos itens principais na primeira página e depois entre em detalhes nas páginas seguintes.
Texto: Utilize tipos básicos de letra, que facilitam a leitura. As melhores apresentações são em folhas brancas (em caso de envio em papel), formato A4 e fontes clássicas, como Arial, Times New Roman ou Verdana, tamanho 11 ou 12. Margens: superior e esquerda devem ter 3cm e as margens inferior e direita 2cm.
Não utilize xerox nem imprima seu documento frente e verso
Clareza é fundamental: a pessoa que vai ler o seu currículo tem que entender o que está escrito. Utilize uma linguagem simples, não deixe dúvidas de entendimento.
Evite discursos em primeira pessoa (o “Eu” pode sugerir que candidato não sabe trabalhar em grupo).
Negrito pode ser usado para destacar cargos e funções.

Fotos: Não envie foto anexada ao currículo. Antes de conhecer a cara do candidato, os recrutadores querem saber de seus feitos e habilidades. Só mande foto se isso for pedido e cuide para que seja uma 3x4 comportada.

D ) CUIDADOS:

1) Salários: NÃO mencione pretensões salariais. Mesmo que o anúncio peça para você informar quanto quer ganhar, não escreva ainda qual é o salário pretendido. Deixe para tratar desse assunto na entrevista. Dependendo do valor que for colocado, já pode ser a primeira barreira entre a empresa e o candidato.

2) Seja seletivo - inclua APENAS o essencial
Lembre-se de que o tempo médio de avaliação de um curriculum vitae por parte de um profissional de seleção é de 40/45 segundos. Concentre-se naquelas informações essenciais sobre você e sua carreira e que o diferenciam e capacitam-no para a vaga em questão.
Se a vaga é para assistente financeiro, não é necessário mencionar sua experiência em manutenção de impressoras. Se você possui 38 anos e concorre a uma vaga de gerente comercial, não é necessário citar sua experiência como office-boy aos 15 anos.

3) Facilite a Leitura
As fontes formais, acima indicadas, com tamanhos adequados e espaços entre as linhas, facilitam bastante a leitura. Deixe também um espaço entre cada campo. E lembrado: cuidado com a ortografia.

 
E) - CARTA DE APRESENTAÇÃO
Não é fundamental, embora seja bastante útil desde que diga, em poucas linhas, o tipo de empresa e os cargos que você deseja.
A carta serve principalmente para o currículo enviado para uma determinada pessoa, por e-mail ou por correio. Vale também quando você não sabe o nome da pessoa, mas manda para um departamento específico da empresa.
Personalize, não siga um modelo e nem padronize para todas as empresas em que tiver interesse. A carta bem feita é aquela escrita especificamente para a vaga que o candidato disputa, ainda que certos trechos possam se repetir em outras cartas. De todo modo, tente fazer um texto sucinto.
Evite colocar: “gostaria de agendar entrevista” ou “aguardo contato com o horário de sua conveniência”. E se não existir a vaga pretendida? É o RH quem agenda a entrevista.
Dicas para a carta:
·                    Apresente-se e despeça-se formalmente. Ao despedir-se -- utilize, por exemplo, o conhecido "Atenciosamente" e escreva seu nome e formas de entrar em contato com você, como celular e e-mail. Se tiver o nome da pessoa que vai ler sua carta, escreva-o, mas com tratamento formal, como "Prezado senhor..." (Nesse ponto, se for o caso, pode ligar para a empresa e descobrir, mas sem insistência, o nome e o contato de quem vai receber o seu currículo.).
·                    A carta não pode ser repetição do currículo;
·                    Procure ser sóbrio na configuração gráfica;
·                    Faça, em média, três parágrafos;
·                    Não fale de pontos negativos; por exemplo: "nunca trabalhei em banco, mas quero começar"
·                    Não faça auto-elogios; nem use adjetivos ou faça julgamentos de valor sobre si mesmo -- como "dinamismo, bom humor, bom nível cultural", porque isso quem vai avaliar é o recrutador, e não você. Expressões como "estou em transição de carreira", "estou em busca de novos desafios" não são erradas, mas são muito comuns.
·                    Destaque o que tenha maior relação com a empresa;
·                    Destaque pontos de sua carreira e formação;
·                    Destinatários - se você for enviar seu currículo a uma agência de empregos ou a um headhunter ("caçador" de profissionais talentosos), destaque sua área de atuação, as empresas importantes pelas quais passou e um ponto importante da sua formação, além do tipo de trabalho que procura.
Se o currículo for direto para uma empresa, fale sobre uma experiência que teve naquele segmento ou com o tipo de produto com o qual a organização trabalha. E, se você mandar seu currículo por indicação de alguém, deixe claro quem o recomendou.
Se usar siglas de sua área numa carta endereçada a um profissional de recursos humanos, explique brevemente do que se trata. E não inove na apresentação gráfica: os RHs gostam de fontes tradicionais, como Arial, sem muito negrito ou sublinhado. Cartas feitas de próprio punho -- com boa caligrafia -- continuam sendo aceitas, apesar de não serem mais tão comuns. E só leve a carta pessoalmente até a empresa se isso lhe for pedido.

BOA SORTE!
 QUEM ESTIVER INTERESSADO NO MODELO, ME SOLICITE PELO E-MAIL:
carmenfconsult@gmail.com

Fonte:
www.Meucurriculum.com.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante. Obrigada!