Páginas

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

DISCURSO CARMEN LUCIA COUTO FONSECA - PARANINFA DA TURMA ADM 2010.2 (colação em abril/2011 - deixarei aqui como lembrança)

Boa Noite a todas e a todos
Senhores  Professores e Coordenadores presentes
Senhores pais e familiares
 
Meus queridos ex-alunos e, a partir de agora, colegas administradores,

A Colação de Grau é uma solenidade da formatura que marca tanto o fim de um caminho como o começo de uma nova estrada. Como se tivesse uma porta entre dois mundos: o que foi e o que virá, como uma nova missão de vida.
Essa missão do administrador não se limita apenas ao gerenciamento das organizações e a aplicação das técnicas de planejamento, organização, direção e controle, mas envolve a melhoria na qualidade do trabalho e das relações interpessoais, a criação de novos empregos, a preservação do meio ambiente e, no geral, a contribuição para uma superior qualidade de vida das pessoas.
Desejo que sejam profissionais empreendedores, ousados, criativos e determinados. Mas sempre sensatos, éticos, responsáveis com o meio ambiente e a sociedade e , acima de tudo, humildes, sem arrogância....humanos, tratando bem as pessoas e sabendo ouvi-las.
Lembrando que o SER vem antes do TER.
.....Que vocês tenham a curiosidade de perguntar, ler....criar.
Façam, errem, tentem, falhem, lutem. E não joguem fora oportunidades de aprender sempre. O aprendizado é contínuo. (lembram?)
Já escreveu Albino Teixeira (mensageiro espiritual): "A morte do homem começa no instante em que ele desiste de aprender."
......Antes de encerrar lendo uma mensagem, gostaria de agradecer de coração a indicação e lembrar que à paraninfa (ou madrinha) cabe o dever diante dos seus afilhados de “felicitá-los, acompanhá-los e protegê-los”. Por isso, contem sempre comigo para o que precisarem. Essa turma vai ficar na história, com certeza!

Felicidade a todas e todos.
 Mensagem:

PIPOCAS DA VIDA (Rubem Alves)

Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho para sempre. Assim acontece com a gente. As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo.
Quem não passa pelo fogo, fica do mesmo jeito a vida inteira.
São pessoas de uma mesmice  e uma dureza assombrosa.
Só que elas não percebem e acham  que seu jeito de ser é o melhor jeito de ser.
Mas, de repente, vem o fogo.
O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos: a dor.
Pode ser fogo de fora: perder um amor, perder um filho, o pai, a mãe,  perder  o emprego ou ficar pobre.
Pode ser fogo de dentro: pânico, medo, ansiedade, depressão ou sofrimento cujas causas ignoramos.
Há sempre o recurso do remédio: apagar o fogo!
Sem fogo o sofrimento diminui.
Com isso, a possibilidade da grande transformação também.
Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, lá dentro cada vez mais quente, pensa que sua hora chegou: vai morrer.
Dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, ela não pode imaginar um destino diferente para si.
Não pode imaginar a transformação  que está sendo preparada para ela.
A pipoca não imagina aquilo de que ela é capaz.
Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo a grande transformação acontece: BUM!
E ela aparece como outra coisa completamente diferente, algo que ela mesma nunca havia sonhado.
Bom, mas ainda temos o piruá, que é o milho de pipoca que se recusa a estourar.
São como aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar.
Elas acham que não pode existir  coisa mais maravilhosa do que o jeito delas serem.
A presunção e o medo são a dura casca do milho  que não estoura.
No entanto, o destino delas é triste, já que ficarão duras a vida inteira.
Não vão se transformar na flor branca,  macia e nutritiva.
Não vão dar alegria para ninguém.
 
Acredite em você! Não tenha medo! E não se intimide diante do fogo, a vida é feita desafios.

Muito Obrigada, um grande beijo e amo vocês!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante. Obrigada!